O ensino de idiomas para adultos exige uma atenção diferenciada por parte dos professores. Nós educadores precisamos entender que os motivos pelos quais essas pessoas estão investindo seu tempo, dinheiro e sua dedicação são bem diferentes de quando eram crianças.

Partindo do pressuposto de que adultos não aprendem como crianças, a educação para adultos não deve ser baseada nos princípios pedagógicos e sim nos pilares andragógicos onde o adulto é o sujeito da educação e não meramente o objeto dela. Os adultos respondem muito bem ao ensino quando fatores motivacionais entram em cena, como por exemplo, a satisfação, qualidade de vida, autoestima e afins. Além disso, é imprescindível levar em conta que os adultos possuem experiências prévias e justamente essas experiências serão a base de seu aprendizado.

Lindeman identificou, pelo menos, cinco pressupostos-chave para a educação de adultos e que mais tarde transformaram-se em suporte de pesquisas. Hoje eles fazem parte dos fundamentos da moderna teoria de aprendizagem de adultos:

  1. Adultos são motivados a aprender à medida em que experimentam que suas necessidades e interesses serão satisfeitos. Por isto estes são os pontos mais apropriados para se iniciar a organização de suas atividades de aprendizagem.
  2. A orientação de aprendizagem do adulto está centrada na vida e não disciplinas.
  3. A experiência é a mais rica fonte para o adulto aprender; por isto, o centro da metodologia da educação do adulto é a análise das experiências.
  4. Adultos têm uma profunda necessidade de serem autodirigidos; por isto, o papel do professor é engajar-se no processo de mútua investigação com os alunos e não apenas transmitir-lhes seu conhecimento e depois avaliá-los.
  5. As diferenças individuais entre pessoas cresce com a idade; por isto, a educação de adultos deve considerar as diferenças de estilo, tempo, lugar e ritmo de aprendizagem.

Assim, a Andragogia propõe autonomia, colaboração e a autogestão da aprendizagem, atributos importantíssimos para quem deseja crescer profissionalmente. A Andragogia deve trazer um aprendizado aplicável, claro e relevante. A teoria não é suficiente nesse sentido, pois o conhecimento do aluno é tão importante quanto o conhecimento do professor/instrutor. Sendo assim, entram em sala as experiências de vida, os valores pessoais e as habilidades profissionais. Ficam do lado de fora a inflexibilidade, as respostas prontas e as metodologias ultrapassadas.

Nos centros de idiomas, é comum observar salas heterogêneas quanto à idade dos alunos. Por esse motivo os professores precisam ponderar quais métodos e técnicas são mais eficazes na obtenção de seus objetivos tendo em vista o variado conjunto de alunos.

 

Referência

Lindeman, Eduard C. THE MEANING OF ADULT EDUCATION. New York, New Republic, 1926

Juliana Teixeira
Graduated in Biology and Pedagogy, she has been working as an English teacher since 2006. She has worked with ESL at well known language institutes with children, teens and adults. Juliana is part of bilingual education team at Colégio Renascença and works as a teacher and coordinator at Global Coaching Idiomas.