Fernando Meibak –

Em minha atividade de orientação para pessoas e famílias acerca de temas diversos de planejamento financeiro frequentemente percebo pessoas que estão usando diversas fontes de crédito. Observo as piores formas, os limites de Cheques Especiais e o Rotativo de Cartões de Crédito, que têm as absurdas taxas de juros de 12% ao mês ou mais. É comum também perceber outras linhas de Crédito Pessoal , que muitas vezes são feitas para pessoas que já estão encontrando dificuldades com aquelas linhas mais caras.

O grande problema, no fundo, é que muitas pessoas estão vivendo além do que podem, consumindo muito, e o crédito passou a financiar gastos correntes – o que é muito grave.

As pessoas, não importa em que idade estejam, devem guardar dinheiro para o futuro. Aqueles que estão vivendo acima de sua renda tem a absoluta necessidade de cortar gastos.  Financiar consumo com  linhas de crédito pessoal não é saudável, pois as taxas de juros dos financiamentos são muito elevadas, mesmo sendo taxas mais reduzidas que outras formas de crédito mais caras.

O grave quadro da economia brasileira no momento traz outros riscos, de perda de renda, pois o desemprego está aumentando. Assim, evite crédito de qualquer natureza. Dado que os juros são muito altos no Brasil, você deve estar na outra ponta, de aplicador de dinheiro, mesmo que seja na simples e fácil poupança.