kids

Você já ouviu falar de Disciplina Positiva? Bem, confesso que até ano passado não conhecia nada sobre o assunto, pelo menos não com esse nome. No entanto tive a oportunidade de trabalhar com Bete P. Rodrigues uma das tradutoras do livro “Positive discipline in the classroom” da Dr. Jane Nelsen e desde então venho me aprofundando no tema que aos poucos está mudando meu perfil como educadora.

A Disciplina Positiva teve sua origem no século passado com Alfred Adler, um psiquiatra vienense que tinha ideias muito inovadoras para a época, incluindo igualdade entre adultos e crianças. Juntamente com um de seu discípulo Rudolf Dreikurs percebeu que o objetivo de todas as crianças é de se sentir pertencente e importante. Comportamentos desafiadores, birras, choros e indisciplina, seriam formas que as crianças conhecem de expressar seus sentimentos, muitas vezes ainda desconhecidos por elas mesmas. Através da Disciplina Positiva podemos entender melhor o que está por trás desses comportamentos, aprender a lidar com os desafios quando aparecerem e assim auxiliar a criança a desenvolver habilidades de vida, tais como: cooperação, responsabilidade, habilidade de resolução de problemas, auto-disciplina, entre outras.

A Disciplina Positiva se baseia em 5 critérios principais:

  • CONEXÃO- a criança precisa saber que ela pertence, que ela faz parte e que é importante.
  • RESPEITO MÚTUO- com firmeza e gentileza ao mesmo tempo.
  • RESULTADOS EM LONGO PRAZO- que não seja apenas momentâneo
  • HABILIDADES SOCIAIS- ensina habilidades de vida
  • DESCOBERTA DE HABILIDADES- a crianças precisa se conhecer e desenvolver autonomia

Em sala de aula a Disciplina Positiva se mostra como uma importante ferramenta para auxiliar o educador nos dias de hoje, onde as exigências acadêmicas estão cada vez maiores, as distrações digitais cada vez mais presentes e os pais cada vez mais ausentes.

Uma das principais premissas da Disciplina Positiva é justamente abolir a punição e castigo tão comuns e difundidos nas escolas como: “Vou te dar zero”, “vou escrever na sua agenda”, “saia da sala”, “vou ligar pros seus pais”, etc. e lares: “vai ficar de castigo”, “você vai apanhar”, “não vai comer sobremesa”, “vai ficar sem videogame por uma semana’, etc.

O quadro abaixo mostra a diferença entre disciplina e punição e a diferença em seus resultados efetivos.

1

Fonte:https://br.pinterest.com/pin/361343570088328187/

Ao conhecer mais sobre a Disciplina Positiva em sala de aula pude perceber que ela muda a atmosfera que permeia o aprendizado. Ensina a motivar em vez de fazer uso de elogios e recompensas; promove habilidades sociais e um comportamento positivo e  mostra que envolver os alunos na resolução de problemas é muito mais eficaz do que aplicar a punição.


Referências:

Disciplina Positiva Em Sala de Aula – 2017- Nelsen, Jane/ Lott, Lynn / Glenn, H. Stephen

Bete P. Rodrigues, tradutora “Positive discipline in the classroom”  – http://www.beteprodrigues.com.br

Juliana Teixeira
Graduated in Biology and Pedagogy, she has been working as an English teacher since 2006. She has worked with ESL at well known language institutes with children, teens and adults. Juliana is part of bilingual education team at Colégio Renascença and works as a teacher and coordinator at Global Coaching Idiomas.