kids

Você já ouviu falar de Disciplina Positiva? Bem, confesso que até ano passado não conhecia nada sobre o assunto, pelo menos não com esse nome. No entanto tive a oportunidade de trabalhar com Bete P. Rodrigues uma das tradutoras do livro “Positive discipline in the classroom” da Dr. Jane Nelsen e desde então venho me aprofundando no tema que aos poucos está mudando meu perfil como educadora.

A Disciplina Positiva teve sua origem no século passado com Alfred Adler, um psiquiatra vienense que tinha ideias muito inovadoras para a época, incluindo igualdade entre adultos e crianças. Juntamente com um de seu discípulo Rudolf Dreikurs percebeu que o objetivo de todas as crianças é de se sentir pertencente e importante. Comportamentos desafiadores, birras, choros e indisciplina, seriam formas que as crianças conhecem de expressar seus sentimentos, muitas vezes ainda desconhecidos por elas mesmas. Através da Disciplina Positiva podemos entender melhor o que está por trás desses comportamentos, aprender a lidar com os desafios quando aparecerem e assim auxiliar a criança a desenvolver habilidades de vida, tais como: cooperação, responsabilidade, habilidade de resolução de problemas, auto-disciplina, entre outras.

A Disciplina Positiva se baseia em 5 critérios principais:

  • CONEXÃO- a criança precisa saber que ela pertence, que ela faz parte e que é importante.
  • RESPEITO MÚTUO- com firmeza e gentileza ao mesmo tempo.
  • RESULTADOS EM LONGO PRAZO- que não seja apenas momentâneo
  • HABILIDADES SOCIAIS- ensina habilidades de vida
  • DESCOBERTA DE HABILIDADES- a crianças precisa se conhecer e desenvolver autonomia

Em sala de aula a Disciplina Positiva se mostra como uma importante ferramenta para auxiliar o educador nos dias de hoje, onde as exigências acadêmicas estão cada vez maiores, as distrações digitais cada vez mais presentes e os pais cada vez mais ausentes.

Uma das principais premissas da Disciplina Positiva é justamente abolir a punição e castigo tão comuns e difundidos nas escolas como: “Vou te dar zero”, “vou escrever na sua agenda”, “saia da sala”, “vou ligar pros seus pais”, etc. e lares: “vai ficar de castigo”, “você vai apanhar”, “não vai comer sobremesa”, “vai ficar sem videogame por uma semana’, etc.

O quadro abaixo mostra a diferença entre disciplina e punição e a diferença em seus resultados efetivos.

1

Fonte:https://br.pinterest.com/pin/361343570088328187/

Ao conhecer mais sobre a Disciplina Positiva em sala de aula pude perceber que ela muda a atmosfera que permeia o aprendizado. Ensina a motivar em vez de fazer uso de elogios e recompensas; promove habilidades sociais e um comportamento positivo e  mostra que envolver os alunos na resolução de problemas é muito mais eficaz do que aplicar a punição.


Referências:

Disciplina Positiva Em Sala de Aula – 2017- Nelsen, Jane/ Lott, Lynn / Glenn, H. Stephen

Bete P. Rodrigues, tradutora “Positive discipline in the classroom”  – http://www.beteprodrigues.com.br