Neste post compartilharei ideias relacionadas ao uso de filmes autênticos (ou seja, os que são passados em cinemas ou TV a cabo) para o ensino de idiomas, assim como usar o vídeo como recurso facilitador e motivador para a produção oral dos alunos.

Alunos geralmente apreciam recursos como estes e profissionais de idiomas podem usar a imaginação e criatividade para elaborar atividades cada vez mais interessantes.

Marina é uma professora de inglês entusiasmada e aplicada. Sempre que possível, procura materiais didáticos relevantes aos interesses de seus alunos e observando seus desempenhos, adapta as atividades sugeridas para conseguir com que se envolvam mais com o processo de aprendizagem que estão passando.

Com um bloquinho e uma caneta na mão, Marina vive anotando ideias próprias ou aquelas compartilhadas com outros profissionais através de cursos que participa.

Como é observadora, qualquer material em inglês que caia em suas mãos (artigos de revistas, folhetos de propaganda, “audiobooks”, músicas, filmes) são transformados em significativas atividades para o ensino do idioma.

Resultado? Marina fica contente em poder motivar seus alunos e fazer com que prossigam seus cursos com prazer e determinação.

Observando seus alunos atentamente, Marina percebe que a maioria deles apresenta uma certa dificuldade em escutar nativos falando inglês, apesar dos exercícios feitos pela programação do curso desenvolvido em aula. No entanto, nota também que eles adoram filmes em inglês, apesar de afirmarem “ Teacher…não entendo o que falam… eles falam muito rápido!”.

Preocupada com esta dificuldade apresentada por seus alunos e pelo prazer que os alunos teriam em poder entender filmes como os de Hollywood, Marina passa a observar os filmes mais atentamente e começa a anotar ideias que possam auxiliar seus alunos.

Primeiramente, Marina assiste a vários filmes em inglês e começa a prestar atenção em cenas que pudessem ser tópicos de lições.

Por exemplo, ao assistir o filme “Four Weddings and a Funeral”(Quatro Casamentos e um Funeral), Marina conseguiu identificar uma cena em que seus alunos pudessem entender algo, num contexto bem claro: “introductions/greetings” (apresentações/cumprimentos).

Nesta cena, Charles ( representado por Hugh Grant) reencontra uma paixão Carrie ( representada por Andie MacDowel) num casamento de um amigo.

A cena é bem curta (cerca de 05 minutos), mas Marina consegue captar a sua essência para elaborar um exercício significativo para seus alunos.

A professora, então passa a ter um objetivo bem claro em sua mente: fazer com que seus alunos concentrem-se naquilo que puderem entender, para identificar o contexto geral. Seria impossível esperar que seus alunos entendessem palavra por palavra. Portanto, Marina começa a direcionar seus alunos a focarem suas atenções àquelas frases ou palavras que conseguissem reconhecer, não se importando com as frases mais complexas ou vocabulário desconhecido. Além disso, prepararia atividades de “warm up” (aquecimento) e de “follow up”(acompanhamento) visando o nível do aluno e o que ele produziria.

Pensando desta forma, Marina elaborou a seguinte atividade para seus alunos de inglês, nível básico, baseando-se na cena mencionada anteriormente:

Film: “Four Weddings and a Funeral”

Topic:: Introductions/greetings

  1. Warm up::
    1. What do people usually say when they introduce themselves?
    2. What do people usually say when they meet each other again?
  1. Charles meets Carrie at a friend’s wedding.

Look at the dialogue, watch the video extract and fill in the blanks using the words you can recognize:

The waiter: Can I help you, sir?

Charles: (1) ……………….. glasses of brandy, please!

The waiter: Certainly!

Carrie: Hi!

Charles: (2)…………….

Carrie: How are you?

Charles: (3) ……….., …………

Charles: Don’t go back to (4) ……………….., please!

I’ll be back in (5)………… seconds!

Charles: Hi!

You look perfect!

(6) ……………… ……… …………?

Carrie: I’m really well.

Charles, I’d like you to meet Hamish, my fiancé.

Charles: Excellent! (7) ……………. ……… …… ……. , Hamish!

Carrie: I’ll (8) ………….. ……….. later!

Key: 1) Three; 2) Hello!; 3) Fine, fine! 4) America 5)Two 6) How are you? 7) How do you do! 8) See you

  1. Follow up:
    1. How does Charles feel? (happy, sad, excited, upset, worried…? )
    2. What about Hamish?

Ao realizar esta atividade e aplicá-la a seus alunos, Marina ficou muito feliz em atingir seus objetivos, ou seja, fez com que os aprendizes pudessem reconhecer palavras, frases familiares dentro de um contexto interessante, de uma história sem precisar se preocupar com vocabulário desconhecido.

Além disso, conseguiu estimular a produção oral dos alunos com base no que foi assistido, respeitando o nível em questão: básico.

Seguindo suas percepções, Marina decidiu se aprofundar mais usando o recurso do vídeo para alunos aperfeiçoarem suas habilidades orais e resolveu usar a função vídeo do celular.

Notou que a impressão que as pessoas têm quando são filmadas é a de que estão olhando para um espelho cruel. Geralmente, quando nos vimos em filmes, observamos nossas falhas e defeitos.

Ciente disso, Marina resolveu trabalhar com fantoches. Começou a elaborar histórias com os alunos que seriam narradas por “fantoches”. Portanto, o locutor seria o aluno ( para praticar a fala, através de um microfone) e a imagem mostrada no vídeo seria a do fantoche.

O resultado foi muito positivo, principalmente para os alunos tímidos que se expõem pouco em aulas de conversação. Como os estudantes tiveram maior tempo de preparar seus diálogos, e puderam “se esconder um pouco” através dos fantoches, sentiram-se mais confiantes e confortáveis ao experimentar a atividade.

Como “follow up” puderam observar como estavam produzindo suas falas e pensar numa maneira de melhorá-las, de forma descontraída e divertida.

Esta experiência foi muito rica e tem sido aprimorada desde então.

E você, caro participante, já usou estes recursos em sala de aula de idiomas?

Compartilhe suas experiências. Seria um prazer contar com sua participação!