Sabe aquela piadinha clichê que diz “fiz letras, sou horrível com números”? Pois é, confesso que já usei essa frase pra sair de alguma situação constrangedora quando ia rachar a conta do bar e fiz conta errada. Mas, vamos lá. Quem nunca?

E sabe o que a gente faz quando acha que não é bom em alguma coisa necessária? Estuda, pratica e aprende! Foi assim quando eu aprendi a tocar guitarra (e fiquei super orgulhoso do meu primeiro show com banda), foi assim quando eu precisei aprender a lidar com números (e administro totalmente sozinho o meu negócio, calculando precificações, taxas e impostos e ainda ajudando os cálculos de mais de cem outros profs) e está sendo assim agora que estou aprendendo a cozinhar e consegui queimar meu dedo fritando um ovo.

Bom… Ainda estou no começo dos estudos quanto a essa última ação ali… Mas voltemos aos números!

No começo de 2017 eu já sabia administrar e gerar renda, mas não entendia bulhufas de investimentos. Daí o Carlos Nascimento, um dos profs dos grupos no Facebook, entrou em contato comigo para me sugerir uma parceria financeira e uma vaga em um dos grupos de investimento dele.

Foi aí que comecei a estudar sobre o que significava investir, quais eram as opções e o que estava ao meu alcance.

Desde fevereiro/17 Carlos e eu passamos umas boas 2~3 horas por semana no Skype estudando, analisando, testando e investindo.

É bem verdade que ele é muito mais experiente em investimentos que eu, então a maior parte desse tempo é composta comigo escutando e processando a quantidade de informações que ele vai me ensinando e atualizando.

Em paralelo também sigo o canal Me Poupe da Nathália Arcuri, que produz vídeos extremamente informativos, divertidos e simples sobre educação financeira.

Sabe? Educação financeira? Aquela disciplina que nunca ensinaram pra gente na escola? Pois é, já passou da hora de aprender como funciona e como podemos tirar vantagem disso!

Qual não foi a minha surpresa quando eu descobri que por algumas vezes as taxas da poupança chegaram a ser menores que as taxas da inflação no período, ou seja, o dinheiro que eu guardava lá na poupança, achando que estava rendendo um pouquinho, na verdade estava se desvalorizando!!!

Estudei mais um pouquinho e descobri modelos de investimento mais inteligentes, mais lucrativos e que eram simples o suficiente para eu entender.

Foi aí que descobri o tal do Tesouro Direto.

 

Eu já havia ouvido falar disso antes, mas me pareceu complexo demais na época, até que assisti os vídeos da Nath (canal Me Poupe) e conversei com o Carlos.

Gente, é muito simples, de verdade.

Ah! Esqueci de falar que eu tinha um outro problema quanto a investimentos: o dinheiro! Digo, a falta dele…

Até porque todo mundo sabe que professor ganha mal pra caramba e nunca vai conseguir um montante suficiente pra investir, certo?

Errado!

Há modelos de investimentos no Tesouro Direto onde você pode começar a aplicar o seu dinheirinho em aportes de até 30,00 reais!

Sério! 30,00 reais! É o preço de uma pizza!

Ah, Vinicius! Eu já vi isso aí, mas se eu colocar o dinheiro não vou poder tirar por um tempão, não é?! E se eu precisar pra alguma emergência?

Bom, o Tesouro Direto tem vários modelos de investimento e em um deles, no Tesouro Selic, você pode retirar todo o seu montante investido quando quiser, sem perder dinheiro! (Só sugiro esperar pelo menos 30 dias do aporte, pra não pagar IOF)

Assim você está deixando a sua reserva de emergência em um lugar onde ela estará verdadeiramente rendendo mais do que a inflação!

O Tesouro direto tem outros modelos de investimentos a longo prazo assim como também há mais tipos de investimentos como CDB e LCs que devem ficar com o dinheiro quietinho rendendo até uma data específica, mas aí é escolha sua deixá-los lá, onde inclusive rendem até mais.

Mas e os riscos? A economia do Brasil não vai muito bem e a gente tem tido uma crise política depois da outra. Vai que eu coloco o dinheiro nesse negócio aí e acabam me tomando depois?

Bom, pode relaxar! Esses são os modelos mais conservadores de investimentos que temos no Brasil!

O Tesouro Direto é ligado ao governo, logo não há chance de você ficar sem ver seu dinheiro de volta somado a rendimentos.

CDBs e LCs são envolvidas com algum banco, mas caso alguma coisa louca aconteça, existe um FGC (Fundo Garantidor de Crédito) que devolve todo o seu dinheiro caso o investimento seja de no máximo 250 mil reais.

Se você for conversar com o gerente do seu banco (o Sidinelson, como diz a Nath… Rsrsrs) ele vai te indicar CDBs do próprio banco, que normalmente têm taxas elevadas.

A indicação então é se cadastrar em corretoras financeiras como a Socopa, ModalMais, Sofisa ou Easynvest e escolher em quais investimentos vai preferir empregar o seu dinheiro com segurança e com taxas muito menores do que as dos bancos.

Se você leu todas essas 800 palavras até aqui então certamente está com um mínimo interesse em aprender um pouquinho sobre investimentos mais simples e acessíveis, certo?

Então a primeira indicação vai para assistir os vídeos da Nath no canal Me Poupe. Sério, corre lá!

Em segundo lugar, o Carlos (meu prof de investimentos) é extremamente solícito e se colocou à disposição de ajudar a quem precisar! Chame-o lá no Facebook, diga que leu este texto aqui e pergunte sobre os modelos de investimento que te chamaram mais a atenção.

Vamos lá, pessoal!

Acreditem, é muito mais simples do que pode parecer e seu dinheiro estará muito melhor investido, trazendo um retorno de verdade pra você!

Vinicius Diamantino
Opa, tudo joia? Meu nome é Vinicius Diamantino, eu sou o fundador da DeProfPraProf, Professor de Inglês há mais de 10 anos, Master Coach e Treinador de Professores, criador do blog www.deprofpraprof.com.br e de vários cursos para professores particulares. Fique à vontade para entrar em contato comigo pelo contato@deprofpraprof.com.br! 😉