Imagino a confusão de alguns alunos de inglês ao lerem “the boy just left his jacket on the chairdrobe and complained to his friend about the fact that he has been hiberdating for five months”. Esse excerto poderia soar como uma mera nonversation, mas é completamente possível em vários contextos.

Algumas combinações de palavras (palavras-valises) soam naturais em nosso próprio idioma – como aborrescente (adolescente + aborrecer) e namorido (namorado + marido) – uma vez que essas peculiaridades linguísticas, quando ocorrem num espectro cultural no qual estamos inseridos, geralmente não causam problemas de compreensão. No entanto, quando elas ocorrem num idioma não nativo causam estranhamento e, até mesmo, podem parecer apenas erros de ortografia, uma vez que tendemos a nos ater ao repertório que nos é familiar.

Muitos alunos ficariam surpresos ao descobrirem que nonversation (non + conversation), chairdrobe (chair + wardrobe) e hiberdating (hibernation + dating) são neologismos que significam:

Nonversation: (n) a meaningless or ridiculous conversation.

Chairdrobe: (n) a pile of clothes left on a chair.

Hiberdating: (v) to ignore friends in favor of a relationship with a boyfriend/girlfriend.

Podemos pensar também, ainda num cenário hipotético, em como alguns leitores e expectadores “desavisados” se surpreenderiam com a quantidade de indivíduos chamados John Doe (ou, no feminino, Jane Doe) em relatos policiais, entradas de hospital e até mesmo necrotérios nos Estados Unidos. Contudo, esses mesmos leitores, se brasileiros, não se espantariam ao ouvir em conversas de corredor (ou, perdão, corrijo-me: nonversations) alguma referência a um sujeito nomeado Fulano ou Ciclano.

By the way, a história dos nomes John Doe e Jane Doe é bem interessante e, segundo o dicionário Oxford, remonta ao século XVIII no Reino Unido, quando demandantes em ações de desapropriação eram comumente recebiam o nome fictício John Doe; e os réus, por sua vez, Richard Roe. O artifício era usado com o intuito de facilitar as medidas da morosa, e já obsoleta, action of ejectment na antiga English Common Law. Mais tarde, essa prática foi extinta, conforme Oxford explica: “Eventually the medieval remedies were (mostly) abolished by the Real Property Limitation Act of 1833; the fictional characters of John Doe and Richard Roe by the Common Law Procedure Act 1852; and the forms of action themselves by the Judicature Acts 1873-75.”

Malabarismos jurídicos à parte, portanto, aqui chamo a atenção para o valor das nuances culturais na formação e transformação do discurso em cada língua, o que nos mostra o quão importante é enriquecer não apenas o repertório linguístico, mas, também, o repertório cultural dos alunos. Por isso, aos professores que estiverem lendo, expresso a importância de orientar os alunos quanto à influência da cultura no que tange ao modelar das distintas maneiras que as pessoas se expressam em diferentes lugares.

Por fim, reconhecendo a quantidade de jogos de palavras e expressões a que somos expostos diariamente, bem como a força que esses recursos expressivos têm; proponho uma atividade a ser realizada com os alunos.

Esta atividade foca na criação de neologismos em inglês a partir da junção de outras duas palavras, como algumas já evidenciadas acima: hiberdating, por exemplo.

Exponha um grupo de palavras à esquerda e outro grupo à direita:

Ex.:

Text

Internet

Anecdote

Dude

Cell phone

Data

Divorce

Selfish

Expectation
Nest

A intenção é que os alunos façam o maior número de combinações que conseguirem entre as duas colunas. Vale reconhecer combinações já existentes ou, até mesmo, criar suas próprias palavras e propor possíveis significados para elas. O ponto central é que eles entendam o mecanismo de transformação do léxico e, desde que atendam ao critério de propor definições para as palavras que inventarem, a criação é livre.

Em relação às combinações já existentes (as quais damos o nome de portmanteaus) que podemos formar a partir das palavras expostas no exemplo, aqui vai a lista:

Texpectation (text + expectation) – the anticipation felt when waiting for a response to a text.

Internest (internet + nest) – the cocoon of blankets and pillows you gather around yourself whilst spending long periods of time on the internet.

Anecdata (anecdote + data) – from anecdote and data: anecdotal evidence based on personal observations or opinions, but presented as fact.

Dudevorce (dude + divorce) – when two bros officially end their friendship.

Cellfish (cell phone + selfish) – one individual who continues talking on their phone so as to be rude or inconsiderate of other people.

Ao final da atividade, é importante mostrar as combinações e significados acima. Assim, eles poderão comparar e verificar se criaram palavras semelhantes, debater suas escolhas e, most importantly, have fun!

Thiago Silva

YouZ Sistema de Ensino Bilíngue