Especialistas da National Geographic Learning | Cengage Learning destacam a necessidade de formação de verdadeiros cidadãos globais no século XXI.

Cengage Learning 

Os estudantes de hoje precisam de mais do que apenas saber ler, escrever, ouvir e falar outro idioma. Para serem cidadãos globais bem-sucedidos no século XXI, devem pensar crítica e criativamente; ou seja, devem resolver problemas, colaborar e se comunicar com pessoas de backgrounds culturais diferentes. É isso o que defendem Anders Bylund, gerente de marketing de produto da National Geographic Learning | Cengage Learning, e John Hughes, autor de livros da empresa.

“Uma forma de melhorar o ensino de inglês é basear os conteúdos no mundo real. Por meio dos programas da National Geographic Learning, como a série best-seller Time Zones, voltada para adolescentes, introduzimos pessoas e lugares fascinantes de todo o globo. Isso torna a aprendizagem mais significativa e divertida para o aluno”, acredita Bylund.

Apesar de não ser um termo novo, o pensamento crítico recebeu uma ênfase renovadora na educação por conta da forma como o conhecimento chega até nós hoje. “Estamos quase saturados de informação – e os estudantes precisam das habilidades para lidar com isso. Os professores não podem mais evitar essa questão”, afirma Hughes, autor da série Life.

“Para estimular o pensamento crítico, introduzimos tópicos de discussão e questões que permitirão que os estudantes relacionem o assunto da unidade a suas próprias vidas. Dessa forma, acharão relevante o que estão aprendendo e expandirão o aprendizado para discussões e exercícios escritos”, destaca Bylund.

Para Hughes, conteúdos autênticos e significativos são essenciais para desenvolver o pensamento crítico. “Ao ler um texto, os alunos não responderão questões de leitura e compreensão apenas. Eles terão de pensar em assuntos bastante interessantes e, por vezes, complicados e desafiadores, o que os conectará de forma global com aspectos diferentes do mundo”, finaliza.