Formar o cidadão do século XXI. Uma reportagem publicada pela revista Exame de 1º de março deste ano sinaliza que sim, esta é uma real necessidade e que algumas escolas já estão se reorganizando para cumprir com este objetivo. Os avanços da tecnologia, em especial no que tange à comunicação, causaram um impacto significativo na forma com que nos relacionamos com o conhecimento e, por consequência, não é possível ignorar a necessidade de repensarmos também a forma com que aprendemos.

A reportagem destaca três aspectos centrais desta nova organização escolar: o currículo flexível, o ensino em diferentes idiomas e a participação ativa dos alunos nas aulas. Um currículo que permite aos professores e alunos uma abordagem dos temas de estudo de forma interdisciplinar e integrada tem como norteadores as chamadas competências alvo a serem desenvolvidas neste cidadão do século XXI e que podem ser organizadas em quatro principais: criatividade, pensamento crítico, comunicação e colaboração. Se quiser se aprofundar neste tema sugiro http://www.p21.org.

Neste cenário, pensar o ensino de idiomas também já não é mais possível como antigamente. O inglês deixa de ser apenas uma disciplina curricular e assume o papel de instrumento para a aprendizagem. Aprende-se em Inglês, interagindo com o conhecimento por meio desta língua assim como poderia ser com a língua materna ou qualquer outra. As aulas de inglês sedem espaço para aulas em inglês.

Ao aluno não cabe mais apenas responder às perguntas mas sim ser capaz de formulá-las. Se desejamos que este aluno esteja apto para enfrentar com sucesso os desafios futuros de um mercado de trabalho e uma sociedade em constantes transformações é preciso atribuir a ele um papel ativo em todo o processo, instigando-o a buscar soluções, a contar com a colaboração de seus pares e suas diferentes habilidades e inteligências, a construir em conjunto as hipóteses, testá-las, errar e recomeçar se for o caso.

O ensino bilíngue é, portanto, mais que uma tendência. É imperativo que as escolas proporcionem aos alunos uma experiência escolar de imersão em um segundo idioma de forma integrada aos seus estudos e descobertas, com temas conectados às grandes áreas do conhecimento. Esta é a escola que irá preparar de fato os alunos do século XXI para o século XXI.

A reportagem completa publicada pela revista Exame está disponível em http://exame.abril.com.br/revista-exame/nova-safra-de-escolas-carissimas-forma-cidadao-do-seculo-21/.

Milena Claus
Fundadora da YouZ Sistema de Ensino Bilíngue, Pedagoga graduada pela Universidade de São Paulo (USP), pós-graduada em Psicopedagogia Educacional. English teacher e Coordenadora de Ensino nas principais escolas de idioma do país.